Mobilidade
Relação Universidade-Empresa
Formação
Notícias
Quem somos
Alianças

Publicidade

Publicidade

Rede Universia

Universia.br

Brasil :: Página inicial >

Quinta-feira :: 08 / 11 / 2007

SERVIÇOS ::

Pré-Universitário   Profissões       Minha Escolha     Ciências Exatas    

Por trás das máquinas "pensantes"

A área de Sistemas de Informação, embora ainda muito recente, já conquistou um espaço bastante relevante no mercado de trabalho. Conheça as oportunidades para este profissional

Publicado em 23/01/2006 - 00:01

Pare e pense: é possível imaginar o mundo contemporâneo sem computadores? Possivelmente, para você, jovem, que nasceu na era da Informática e parece estar ligado ao mundo virtual como por um "cordão umbilical", isto é quase impossível, não? Afinal, o computador serve para quase tudo. Ele se comunica, calcula, desenha, sem contar a incrível capacidade de interligar o mundo envolvido com a Internet. Ok, realmente a tecnologia faz milagres por você. É importante, porém, lembrar que são seres humanos por trás da tecnologia que trazem estes mecanismos para as suas mãos. Parte destes profissionais é ligada à área de Sistemas da Informação.

Embora seja uma profissão relativamente nova, já conquistou um espaço relevante no mercado de trabalho. Pesquisas revelam que de 50% a 75% das demandas da área de Computação estão destinas aos profissionais de Sistemas de Informação. "As empresas sentiam a necessidade de um profissional capaz de construir um sistema de informação adaptado aos seus negócios. E o profissional de SI surgiu para suprir estas carências", explica a coordenadora da graduação de Sistemas de Informação da Faculdade de Tecnologia IBTA, Lúcia Contente Mós. "Além disso, conseguem reunir os conhecimentos das demais áreas de Tecnologia da Informação, ampliando o leque de oportunidades."

Os profissionais dessa área devem ser capazes de analisar problemas e propor soluções criativas, interagindo com diferentes áreas do conhecimento e intervindo na realidade de forma empreendedora. Por isso, o analista de SI poderá atuar no desenvolvimento tecnológico dos Sistemas de Informação, na gerência de Departamento de Tecnologia da Informação ou de empresas de Informática, no ensino de computação e, ainda, como empreendedor em Informática.

Desta forma, as demandas estão concentradas nas empresas públicas, particulares e nas consultorias tecnológicas. E mais: o mundo da pesquisa e da docência vem abrindo cada vez mais espaço para os recém-formados. "Atualmente, o mercado de trabalho para estes profissionais é bastante amplo, uma vez que sistemas de computação têm sido utilizados nos mais diversos setores da sociedade", assegura a consultora da Career Center Marisa da Silva. "Hoje, os bancos e as consultorias são os que mais contratam. No entanto, a maioria dos profissionais atua com a prestação de serviço", afirma.

Uma outra vantagem desta profissão é a remuneração. Ainda que os salários variem de acordo com o cargo, empresa e projetos, eles oscilam entre R$ 2.000 e R$ 8.000. "Se comparada com as demais áreas do conhecimento, é uma remuneração bastante significativa. Isto porque é uma área mais técnica e demanda um maior comprometimento", diz a consultora.

Contudo, a área de Sistemas de Informação enfrenta o mesmo problema das demais: a tão temida concorrência. Por este motivo, o mercado de trabalho é cada vez mais exigente. "Além da graduação, a língua inglesa e as especializações em determinadas linguagens tecnológicas são essências", conta a gerente de talentos da IBM Brasil - líder na criação, desenvolvimento e manufatura de tecnologias de informação da indústria -, Luciana Farisco. Mas, para atuar em uma das mais cobiçadas empresas da área, é preciso muito mais. "O perfil pessoal também é levado em conta na hora da seleção. A boa comunicação e a facilidade de se trabalhar em equipe são apenas duas das habilidades pessoais exigidas", alerta.

As concorrências não se restringem apenas ao mercado de trabalho. Um dos grandes desafios dos estudantes é o ingresso na universidade. Segundo levantamento feito pelo INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), existem, atualmente, 391 cursos de Sistemas de Informação no Brasil. O total de matrículas anuais é de 51.722, contrapondo-se bastante ao número de concluintes, 2.865. "Reflexos da má informação. Ao contrário do que se imagina, ele é totalmente diferente de Análise de Sistemas e Processamento de Dados. Além do mais, é um curso que exige muito estudo e abrange tanto a área técnica como a área de negócios", afirma a coordenadora. Clique aqui e conheça mais sobre o curso.

Confira abaixo os motivos que levaram um vestibulando, um graduando e um profissional a escolher o curso de Sistemas de Informação:

Idade: 17 anos

Michele Cristina Costa Januário
Idade: 20 anos

Onde estuda: Mackenzie
Vinicius Graciola Pardini
Idade: 23 anos

Profissão: Graduado em Sistemas de Informação pela UDC (União Dinâmica de Faculdades Cataratas)
Said Taher Nasser
Vestibulando - Por que escolheu a profissão?
Além de ser uma área de ampla atuação, o curso envolve matérias que me agradam muito, tais como programação e administração. No entanto, foi por meio de um curso Técnico em Informática, realizado na ETE Professor Alcídio de Souza Prado, em Orlândia, que tomei esta decisão. Tive um incentivo muito forte por parte dos meus professores a investir na carreira e alcançar os meus objetivos.
Graduando - Por que escolheu a profissão?
Sempre gostei de resolver problemas de lógica e sempre tive afinidade com computadores. Tudo isso se juntou com o fato de a carreira ter grande perspectiva de futuro.
Profissional - Por que escolheu a profissão?
Escolhi esta profissão porque sempre tive muito interesse na área de Tecnologia da Informação. Entretanto, no decorrer do curso me dei conta de que o curso de Sistemas de Informação possui uma abrangência muito maior do que simplesmente desenvolver e aplicar soluções tecnológicas. A graduação traz também um conhecimento muito grande em negócios.
Vestibulando - O que espera do curso?
Espero, realmente, que seja o que imagino: um curso amplo que envolva noções da Informática relacionadas com a administração. Espero, ainda, que a graduação seja aberta a inovações e caminhe junto com a tecnologia, para que, assim, possa estar sempre atualizada.
Graduando - O curso corresponde às suas expectativas?
Não só corresponde como superou, trazendo além da Informática, noções de Administração, Economia e Contabilidade.
Profissional - O curso correspondeu às suas expectativas?
Na verdade ele acabou superando as minhas expectativas, pois me trouxe uma visão muito abrangente de TI como ferramenta de negócios.
Vestibulando - Quanto espera ganhar depois de formada?
Um universitário iniciante deve sempre cobiçar um salário mais alto e ir em busca de um emprego melhor, relacionado com sua área de atuação. Mas é importante ressaltar que nem todos os recém-formados podem escolher seu emprego e, conseqüentemente, o seu salário. Espero ter um salário adequado a minha qualificação profissional.
Graduando - Quanto espera ganhar depois de formado?
Espero ganhar, inicialmente, um salário de R$ 2.000 ou R$ 2.500.
Profissional - Quanto ganha?
Nos últimos 5 anos tenho atuado na área. Hoje em dia trabalho na IBM Global Services do Brasil. Quanto ao salário, isso eu não posso revelar, entretanto devo dizer que a remuneração na área é muito boa, tendo em vista que me formei há apenas 6 meses.
Vestibulando - O que acha que vai encontrar de melhor na profissão?
Espero gostar de tudo, afinal, pretendo atuar nesta área. Nada melhor do que ter paixão pela profissão para que tudo saia bem feito e para que se satisfaça profissionalmente.
Graduando - O que acha que vai encontrar de melhor na profissão?
Diversas oportunidades de crescimento profissional e a troca de conhecimento informal.
Profissional - O que acha de melhor na profissão?
A possibilidade de conhecer os negócios dos clientes, pois devido à diversidade da clientela é possível que, com o tempo, se acumule uma bagagem muito grande em tecnologia e, em alguns casos, em negócios. Esses conhecimentos possibilitam que o profissional mantenha os seus horizontes amplos e possa sempre trabalhar sabendo que existe uma infinidade de possibilidades na sua área de atuação. Pessoalmente eu acredito que esse fato traz uma certa tranqüilidade, pois pode-se optar por fazer, dentro da medida do possível, o que realmente tem prazer.
Vestibulando - O que você acha que vai encontrar de pior na profissão?
A princípio, acredito que ingressar no mercado de trabalho será o mais difícil.
Graduando - O que você acha que vai encontrar de pior na profissão?
A necessidade constante de atualização é incomoda, mas necessária.
Profissional - O que você acha de pior na profissão?
A falta de uma associação de classe específica para os informatas.
Vestibulando - Que análise você faz da profissão no Brasil?
Como todas as profissões, tem seus altos e baixos. Sistemas de Informação vem se expandindo pouco a pouco e o profissional desta área tornou-se indispensável nas empresas brasileiras. Apesar da minha paixão por Sistemas de Informação, não saberia afirmar, ao certo, qual a sua realidade e suas necessidades, por isso, os profissionais na área são as pessoas mais indicadas para responder esta questão com mais precisão.
Graduando - Que análise você faz da profissão no Brasil?
É uma profissão que tem muito a evoluir no país. Mas, mesmo assim, possui mentes brilhantes, que conseguem lidar facilmente com problemas e resolverem as adversidades com inteligência. Os cursos realmente bons requerem o conhecimento em língua estrangeira, que hoje é uma necessidade básica, mas talvez estes bons treinamentos pudessem ser adaptados ao nosso idioma.
Profissional - Que análise você faz da profissão no Brasil?
A profissão está em franco crescimento no Brasil e nos outros países como China, Índia e Rússia. Apesar da concorrência com estes países, o Brasil tem se destacado pela qualidade dos profissionais e pela infra-estrutura mais parecida com a dos países desenvolvidos, o que acaba atraindo as empresas estrangeiras de tecnologia. O mercado brasileiro de TI é exigente, o domínio de Inglês não é uma vantagem e sim uma habilidade básica para trabalhar. O curso superior proporciona uma parte do que é necessário para se entrar no mercado, portanto em tecnologia é necessário que se entre no mercado o quanto antes.
Vestibulando - Que dica você daria a estudantes que estão em dúvida entre Sistemas de Informação e outras áreas?
Cada estudante deve optar em seguir a carreira que mais lhe agrade e que corresponda aos seus gostos e perfil pessoal. Ninguém, nem ao menos eu, tem o direito de induzir em uma escolha deste nível. Mas, é importante pesquisar sobre as possíveis possibilidades, para não fazer escolhas erradas das quais possa se arrepender futuramente.
Graduando - Que dica você daria aos estudantes interessados em Sistemas de Informação?
Hoje uma pessoa que sai como Bacharel em Sistemas de Informação não é somente capacitado a se tornar um programador. O curso visa formar o indivíduo em Arquiteto de Sistemas, possibilitando que o estudante se torne tanto um exímio analista, como um grande diretor. A graduação forma pessoas completamente aptas a se adequarem a diversos cenários dentro da informática.
Profissional - Que dica você daria aos alunos interessados nesta profissão?
Se mantenham informados sobre o mercado de TI, não se limitem a estudar somente tecnologia. É necessário conhecer administração e economia. E mais, desenvolvam as habilidades de trabalho em equipe e comunicação, pois não se faz quase nada sozinho nesta área.

Encontre Notícias de seu interesse


Publicidade

.                                                                                                                                                         &nbs p;