Há 5 mensagens não lidas
em sua caixa de e-mail
  Não há mensagens
  Há somente mensagens lidas
  Há mensagens não lidas
ArgentinaChileColômbiaEspanhaMéxicoPeruPortugalPorto RicoUruguaiVenezuela
Uma rede de 985 Universidades login senha cadastre-se

esqueci a senha

Uma rede de 985 Universidades login senha cadastre-se

esqueci a senha

destaques WebmailEmpregosProvas InterativasBolsasCursosOnde EstudarAgendaTradutorSalas Virtuais
Busca Universia


powered by
Coletivos
Pré-Universitário

Universitário

Pós-Universitário

Docente

Gestor

Direto ao ponto




Canais
Bolsas e Financiamentos

Carreira

Cultura+

Educação a Distância

Empreendedorismo

Estude no Exterior

Pesquisa

Responsabilidade Social

Serviços
Agenda

Antigos Alunos

Chat

Cursos

Discador

Empregos

Fomento à Pesquisa

Fórum

Onde Estudar

Provas Interativas

Salas Virtuais

Vida Financeira

Tradutor

Webmail

Alianças Globais
MIT

Next Wave

Wharton

Clube Universia
Carteira do Estudante ISIC




Gestor


  Gestor     Marketing     Marketing nas IES

Enade: um novo fator na fórmula da gestão

Pesquisa realizada pela CM Consultoria identifica que 61% das instituições de ensino superior brasileiras utilizam dados do ENADE como ferramenta de marketing

Publicado em 15/07/2005 - 14:44

A CM Consultoria, empresa especializada em gestão educacional, realizou pesquisa inédita com uma amostra do universo de gestores do Ensino Superior particular do Brasil sobre o ENADE (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes). De uma maneira geral, os mantenedores pretendem utilizar as informações para estabelecer o controle e a melhoria do quadro atual, já pensando na próxima edição da avaliação do governo federal.

Os resultados apontaram que 33% dos gestores utilizaram, quase que instantaneamente, os dados positivos como suporte de marketing e comunicação. A realização de reuniões para análise e planejamento de como usar estrategicamente as informações foi a atividade de 66% das instituições.

"A administração dos dados e a convergência das informações do relatório do MEC em estratégias e ações de mercado podem reverter em bons resultados para a instituição", analisa Carlos Monteiro, diretor-presidente da CM Consultoria. Uma vez que os pontos fracos das demais faculdades que competem pelos alunos também foram apontados, publicados e comunicados ao mercado, quem conseguiu uma boa nota em seus cursos deve divulgar isso de forma estratégica a seus públicos. "Embora 38% dos gestores acreditem ser redundante as instituições fazerem uso dos dados do ENADE, todos concordam que compará-los é fundamental", completa.

Das instituições que responderam a pesquisa, 66% tiveram até três cursos avaliados e apenas 27% não foram avaliadas. Os resultados deixaram 52% das instituições satisfeitas com a análise do exame e 61% vão utilizar a informação em sua estratégia de marketing e comunicação como ferramenta para se diferenciar no mercado.

A expectativa em relação aos dados do governo é muito otimista para 63% dos gestores. Os executivos sinalizaram que os cursos das instituições onde trabalham tendem a posicionar-se melhor e de forma mais efetiva em relação à concorrência após a análise divulgada pelo MEC. Apenas 30% ficaram imparciais por acreditarem que as atuais políticas do MEC são controversas, o que supostamente gera um descrédito das informações divulgadas.

Marketing educacional

Os caminhos a seguir em termos de marketing educacional podem ser os mais variados. Com as informações sócio-econômicas do Enade, as instituições conseguem mensurar, comparativamente, seus dados de ingressantes com os dos concorrentes e, como seus calouros e formandos estão posicionados em relação aos dos demais players do setor.

"O cruzamento de todas essas informações pode gerar médias estatísticas, cuja análise pode dizer se um público mais qualificado que o da concorrência busca determinada IES, ou se o seu egresso está na média dos demais, ainda que sua avaliação não tenha sido positiva", destaca ainda o consultor.

Outra conclusão da análise dos resultados globais do ENADE é que a inclusão de faculdades públicas e privadas no mesmo montante, não é o modelo correto de comparação. "A realidade dessas instituições diferem muito em nosso país", analisa Monteiro. "Os desafios de cada modalidade não são os mesmos, e comparar esses dois paradigmas sob um mesmo rol de critérios não fornece um panorama palatável", complementa.

Um outro ponto de vantagem do Enade, segundo a análise do consultor, é que a avaliação deixaria de pesar inteiramente sobre os ombros das comissões do INEP (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais) na aprovação e credenciamento de novos cursos. "Passa-se a computar essa nova variável com as condições de oferta de ensino", finaliza.

Sobre o Enade

A Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (CONAES) é o órgão colegiado de coordenação e supervisão do SINAES (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior), instituído pela lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004. Um dos exames do SINAES é o Enade que foi criado em 2004 para substituir o Provão a partir desta data. Em seu primeiro ano, o exame será aplicado a 13 cursos - agronomia, educação física, enfermagem, farmácia, fisioterapia, fonoaudiologia, medicina, medicina veterinária, nutrição, odontologia, serviço social, terapia ocupacional e zootecnia.

Fonte: Assessoria de Imprensa da CM Consultoria





 Enviar
 por e-mail

 Versão para
 impressão


início · imprensa · equipe universia · fale conosco · newsletter
Copyright © 2002 Universia Brasil S.A. Todos os direitos reservados